Costumes e Tradições

Festas e Romarias

Pagela da Festa em Honra da Nossa Senhora da Saúde

A primeira festa de que há registo, data do século XVIII e acontecia anualmente no mês de julho em honra do Senhor da Cruz das Regateiras.

A Festa em Honra de Nossa Senhora da Conceição também chegou a ser celebrada em Paranhos, no dia 8 de dezembro, com uma procissão da qual participavam os membros da Junta de Freguesia. Em janeiro festejava-se o Senhor Jesus. A festa de Corpus Christi, da qual há registos a partir de 1845, consistia numa missa sagrada acompanhada com orgão, cânticos, comunhão, consagração e benção do Santíssimo Sacramento. Da Igreja Paroquial saía uma procissão até ao Campo Lindo. Em 1877 realizou-se pela última vez a festa em honra de Nossa Senhora do Parto. Durante muito anos realizava-se também a Procissão do Viático, com a finalidade de visitar os entrevados. A procissão passava pelo lugar de Aval de Cima, Viela do Covelo (atual Rua de Bolama), Rua da Rainha( Atual Antero de Quental) e Vale Formoso. Até finais do século XIX festejou-se também o Senhor dos Passos e a Senhora da Soledade.

Contudo, e desde o século XIX, que a festa mais importante e que maior visibilidade dá à freguesia, é sem dúvida, a Festa em Honra de Nossa Senhora da Saúde. É nas imediações da Capela de Nossa Senhora da Saúde que se realiza a romaria da Senhora da Saúde, no Largo do Campo Lindo. Em tempos antigos, era também neste Largo que se fazia o sermão do Encontro, de uma procissão tradicional da freguesia.

“No dia da festa da Senhora da Saúde pintavam-se e caiavam-se as casas e estreava-se fato, chapéu e sapatos.”- In Hélder Pacheco, “Porto”. Ainda hoje, as Festas em Honra de Nossa Senhora da Saúde atraem milhares de visitantes de toda a região norte, a licença que autoriza a realização desta grandiosa festa, data do ano de 1887, ano em que adquiriram a categoria de Festas da Cidade, dada a importância que assumiam na altura.

Antigamente os festejos duravam oito dias, com arraial que durava até de madrugada. Esta era a festa mais concorrida, que desde sempre atraiu muitos forasteiros à freguesia, não só da cidade, mas de outras terras das redondezas. Da Capela de Nossa Senhora de Fátima, conhecida como Capela do Amial, ainda hoje sai uma procissão em honra de Nossa Senhora de Fátima. É na Festa em Honra do Sagrado Coração de Jesus que os meninos e meninas fazem a Profissão de Fé.

 


Doces de Paranhos

Doces de Paranhos

Ingredientes:
Farinha: 2Kg
Açúcar: 500g
Manteiga: 250g
Ovos: 8
Leite: 2 dl
Fermento de Padeiro: 50g
Raspa de limão
Canela: qb
Erva-doce: qb
Açafrão: qb
Sal

 
Preparação:
Juntam-se todos os ingredientes secos e a raspa de limão num recipiente. Quando os ingredientes formarem uma massa homogénea, faz-se um buraco no centro onde se desfaz o fermento de padeiro com um pouco de água tépida, adicionando o açafrão e o leite. Volta-se a juntar e misturar todos os ingredientes, adicionando aos poucos os ovos batidos, amassando-se muito bem. Aguarda-se que a massa levede. Quando a massa levedar fazem-se bolinhos e leva-se ao forno que já deve estar bem quente. Quando estiverem cozidos, deixa-se arrefecer e envolvem-se na calda de açúcar. A calda de açúcar deve ser feita em lume brando.
Estes doces eram vendidos pela cidade, pelas doceiras de Paranhos no início do século XX. Eram em tempos os doces mais populares da cidade e eram oferecidos como presente às pessoas que não podiam ir assistir às festas de Paranhos. Estavam presentes em qualquer romaria ou festa que houvesse entre o Minho e o Douro do País.

Venda de tremoços

Paranhos era também conhecida como terra de tremoços. De Paranhos, chegavam os maiores e mais saborosos de toda a região. Não havia romaria onde as tremoceiras, não estivessem presentes.

   

                                       Vendedora de Tremoços - Fotos do Rancho Folclórico de Paranhos